domingo, setembro 26

domingo


é uma tentativa de superar a imaginação.

fico.

tentando encontrar o fio que conduziria tudo.

onde fica esse fino galho na beira do abismo

ao qual a gente se prende.

e o galho, a gente, ar-rebentar. nascer no ar.

é um fim mas é um começo.



3 comentários:

vanessacamposrocha disse...

a vida é uma cobra que morde o próprio rabo! adorei!

Mai disse...

As vezes a palavra foge, a imaginação se esconde em meio a selva imensa do real. Funduras do abissal... É aquela imagem do infinito - o tudo e o nada que é sempiterno. Abraços

Mai disse...

Eu não preciso e nem se trata de elogiar. Mas o que esc reves não são apenas palavras, porque mesmo sem inspiração o que escreves faz pensar.