sábado, setembro 4


vida
escondida nos vincos
destes traços refletidos no espelho.
quebrada em tantas partes
que me vejo
corrompida de pedaços alheios.
copiados descaradamente.
sem pudor,
sem critério,
sem escolha própria.
quanto a mim,
desapropriada de ser,
me resta este abstrato eu.
um brinde! nada mais jovem
do que esta cara
de quem nunca nasceu.

4 comentários:

Marcela Bertoletti disse...

De cada parte de um espelho quebrado ainda é possível se reconhecer no reflexo. Mesmo que esse reflexo seja apenas uma parte, por uma parte se vislumbra o todo. Algumas vezes mesmo que se olhe bem de perto não é possível enxergar o que mora no fundo, o que se esconde atrás da pele, dos olhos. O importante é continuar procurando. Desconstruir para depois reconstruir e se encontrar. E num momento nem precisar olhar e se ver.

Saudades!

Beijos

Juan Moravagine Carneiro disse...

Gosto muito da forma q trabalha as palavras

abraço

La movida disse...

do alto de meus 25 anos nascidos,
sem esquecer dos que ainda hei de parir,
me vejo mistura de seres e vidas, em ebulições e erupções cutâneas.

vanessacamposrocha disse...

um brinde aos seus textos!
beijos