segunda-feira, junho 21

post-it num espelho improvável


tenho sonhado com o sol,
mas à luz do dia
definho

tenho pensado sobre as coisas do mundo,
mas diante delas
a imaginação derrama névoa nos meus olhos

nada que não venha de mim me toca
nada que não seja etéreo faz sentido

andei dando tempo demais ao tempo
perdi a eternidade do presente

já não quero mais a memória
quero a vida instantânea
a percepção imediata
quero o que for

a beleza do que não foi
inexiste

minh'alma é meu corpo à flor da pele

3 comentários:

Luka disse...

Eu apoio totalmente o borrasca

Juan Moravagine Carneiro disse...

é incrível como seu leque poético é rico...

abraço

caio disse...

a alma ainda existe, ah! A alma ainda existe!!!