domingo, fevereiro 14

Dilema no meio


não sei o que é maior

se sou eu ou o que sinto

não sei se eu sou eu

ou o que sinto

não sei se eu sou

alguém que olha

alguém que olha

alguém

ou sou eu

que olho eu

que olho eu

que olho

o indivisível

pra dividir, entender

e juntar?

eu?


caríssimo ser humano

homo sapiens dualista

inauguro aqui a vida "sem aspas"

isso ou aquilo: não

quero orações aditivas



Life? I'm so fuckin' addicted


4 comentários:

Mai disse...

Um grande texto, um olho imenso.
Devo estar fora da ordem porque eu sempre estou ali pelo meio. Nem morna, nem apática - mas ali, entre a folha e a pele, entre o sopro e a queda, entre o que está e o que fica.
Abraços, Luanne.

vanessacamposrocha disse...

alguém que não sabe, inaugura sempre alguém que sabe, dentro da que não sabe. adorei!

guru martins disse...

...muito
bom!!!

bj

Carta e Verso disse...

seria bom viver sem aspas, mas as aspas, assim como os parênteses e os parentes, fazem parte da arte ou do mistério de viver. "quero orações aditivas" (verso incrível!)

abraço.