quarta-feira, julho 14

pormenores

algo insiste contra o anseio
do meu corpo por se
desintegrar neste corpo
alheio
cada um se defende -
de quê? - como pode e eu
teimo com o meio
antes de cruzar a linha
(alongando o peito e
a contagem regressiva
- a coragem decisiva)

entretanto,

a caixa preta da sua retina
tem me mostrado mais coisas
do que você imagina

entre tato

nesta conversa de olhos,
mãos, bocas mudas,
entender perde
sentido vira via de
mão dupla

entreato: canto

e se eu recuar,
você promete que avança?
é que nesta dança
dois pra lá
dois pra cá
pouco assimilo
onde se esconde o próximo passo?
- meu pé suspenso tateia o ar
sua mão vem e duplica a minha
cintilo, sigo
mesmo sem saber
começo a achar tranquilo

5 comentários:

Luka disse...

The only thing i´ll ever ask of you
you´ve gotta promise not stop when i say when

Esse sim que entrou pros meus favoritos

ricardo magalhães disse...

Que dança! Não teve como ficar parado, dancei junto...

vanessacamposrocha disse...

lindo, lindo, a vida que dança
será que a gente alcança?

Juan Moravagine Carneiro disse...

Palavras com cheiros, toques e gostos...

abraço

guru martins disse...

...é só continuar
que rola tranquilo...

bj