quinta-feira, outubro 29

Cavalo dado

Se desconfio

que me ameaça um elogio

não olho os dentes

Mostro meu sorriso cordial

reflexo mais desarmador

pro inimigo que se aproxima

(um falso farol, um fundo falso)

Na elegância,

ponho minhas mãos ao alto

Assim assalto qualquer indelicadeza

que minha tristeza possa disparatar

Queria saber da gratidão pura,

mas o cavalo manco trotando em mim

é cego surdo e grita de dor

Por falta de casco próprio

ele me encasquetou


5 comentários:

ricardo magalhães disse...

é mesmo...!
o sorriso é arma de defesa pessoal
cordial, mas não deixa de ser arma

Perivaldo Graça disse...

armando-se com um sorriso? quanta crueldade. rs
um sorriso de desprezo ou deboche pode ser pior que muitas ofensas.

vanessacamposrocha disse...

um cavalo manco vale mais que um sapato apertado!

Branca Fernandes e Humo Leon disse...

Muito interessante o seu blog!
Voltaremos...

guru martins disse...

...bem,
pelo menos
tem bom
humor pra
lhe dar
com a
claudicancia...

bj